1 de outubro de 2015

DA BAGUNÇA COMO UMA DAS “BELAS ARTES”…



Diz assim a Agência LUSA:

Declaração foi feita depois dos primeiros distúrbios em centros de acolhimento.

O ministro do Interior alemão, Thomas de Maiziere, exigiu esta quinta-feira aos refugiados que respeitem a cultura e as leis do país que os recebe, depois dos primeiros distúrbios em centros de acolhimento.

Aceitar as leis e os valores alemães significa "que digam o verdadeiro nome e país de origem aos funcionários, não lutar, ter paciência e respeitar os outros, independentemente da religião ou sexo", sublinhou numa intervenção no parlamento (Bundestag), em Berlim.(…)

Dados do Ministério do Interior do estado da Baviera (sul), principal porta de entrada dos refugiados na Alemanha, só no mês passado, a Alemanha recebeu entre 270 e 280 mil requerentes de asilo, mais do que em todo o ano passado.

De acordo com as previsões para este ano, o número total deverá situar-se entre os 800 mil e um milhão de refugiados.(…)

De Maiziere defendeu uma integração "em duas direcções" e a importância de abrir rapidamente as portas do mercado laboral a quem tiver possibilidades reais de conseguir ficar na Alemanha e fomentar a aprendizagem da língua.

O ministro advertiu os requerentes de asilo que devem respeitar as decisões das autoridades: "o asilo na Alemanha não significa a escolha livre do domicílio".(…)

"Todos fazem um esforço enorme e de momento é tudo o que se pode fazer", declarou.

O ministro fazia alusão aos problemas registados na quarta-feira, em Hamburgo (norte), onde meia centena de agentes da polícia foi chamada a intervir num centro de acolhimento, na sequência de distúrbios entre dois grupos de sírios e afegãos, num total de cerca de 200 pessoas.

Várias pessoas ficaram feridas, mas até ao momento desconhece-se um número exacto.

Aparentemente, os distúrbios foram causados por divergências sobre a utilização dos duches e, de acordo com o diário Hamburguer Morgenpost, que cita os bombeiros, os dois grupos agrediram-se com barras de ferro e pedras.

Na terça-feira, uma rixa entre sírios e paquistaneses causou dois feridos em Dresden (leste). No domingo, 14 pessoas, incluindo três polícias, ficaram feridas num centro perto de Cassel (centro), depois de confrontos entre 70 paquistaneses e 300 albaneses.

NOTA – Ou seja: começou a revelar-se a verdadeira face dos “refugiados”…

2 comentários:

Anónimo disse...

Sem dúvida! E que terão a dizer disto os politicamente corretos de perna aberta? Belos meninos...!

Lopes M.

Oliveira da Figueira disse...

Tenho publicado alguns vídeos do que a Imprensa não mostra, mas tenho mais na calha. Não entendo a S.ra Merkl. Deve querer dividir para reinar.